CASTELO ONDE TE SONHO POESIA

CASTELO ONDE TE SONHO POESIA

quarta-feira, 19 de novembro de 2014



ENLACEMO-NOS, por PjConde-Paulino







Ambos, com trinta anos de vida. Ela, amava-o! Amar-se-iam, depois de tantos anos? Surgiu, inesperadamente, o reencontro. Remexeu a alma; a poesia. Só o Poema poderia reconquistar o amor de infância. Os dois, em silêncio! As ondas da praia afagando o molhe. Ela, ainda trémula, demonstrava o que sentia, através do poema:


Para sonhar a vida antes de ter nascido
Para ser mãe ao colo de minha mãe
Para escutar a tua voz e acreditar
Nasci contigo no parto do verbo amar

E fui menina o aconchego do teu berço
Fiz-me riso em delicado jasmim
Fui palácio-alegria de anjos e serafins
Autossilenciado eterno ficaste em mim
Agora: beijo-te o sorriso de precioso feitiço

Nestas ruas de verão ao sol escaldante
Sem o véu da tua presença sinto-me nua
E sei que és o que me veste sendo tua

Vem e corre na alvorada insinuante
Preciso dos teus passos nos meus passos
Voa na atmosfera transcendente
E vem pousando na praia do meu corpo

Se as lágrimas forem pérolas - enriqueci
Se os universos surgirem nos abraços
Se os beijos e desejos forem laços
Enlacemo-nos...Eu em ti e tu em mim!

.

- Enlaçaram-se - Agora, com quase setenta anos, vivem a sorrir, ao ritmo das brincadeiras dos netos, na relva no jardim.

 

In Histórias de Amor - sem tempo – .PjConde-Paulino

2 comentários:

João Madruga disse...

Isto é belo de mais para ser verdadeiro por isso é tão poético. Obrigado por este momento...com a música de fundo e a chuva a bater na vidraça.....

PjConde-Paulino disse...

Meu primo, agradeço a visita. Sim, a Poesia é como o sangue correndo no corpo do poema. O nosso corpo não vive sem a alma - centro das emoções. Aquele abraço! :)