CASTELO ONDE TE SONHO POESIA

CASTELO ONDE TE SONHO POESIA

sábado, 17 de julho de 2010

Poema:Memórias do Alentejo

foto de PjCondePaulino - Alentejo -

Memórias do Alentejo


Quem pode desfrutar da compensação de olhar o horizonte no cume do monte, sem ter um objectivo prático, senão o poeta?


Ele sabe que é único no seu sonho, naquele lugar sem igual arquitectado por Deus, no atelier da nobreza de carácter entre pinheiros, na fronteira do Chaparral, salpicando a Planície no horizonte saudoso da memória.


**** **** **** **** **** **** **** **** ****


Avez vous quelquefois, calme et silencieux,
Monté sur la montagne en présence des cieux
? “


De mão dada com a memória, eu sou
senhor de mil ninhos de esperança ...


Olho o voo cadenciado do pintassilgo
perdido entre sorrisos na gargalhada
andorinha de vestido, preto e branco
faz no beiral vermelho, a sua morada.


Pé-ante-pé, quase em silêncio,escuto
filhotes de perdiz na moita em frente
sinfonia,alegria;no cimo do salgueiro
sou senhor de mil ninhos, doravante.

A fisga...que “pinta" de arma no bolso
orgulho de quem sabe viver no campo
sou caçador, entre quimeras vivo solto
qual criança,como águia estou voando.

Ser criança, é ser livre, feliz no ensejo
ontem, hoje, amanhã; que sonho terno
vou ver-vos, meus amigos d`além Tejo
aqui o mar dança, no céu aqui tão belo.


De mão dada com a memória eu sou
senhor de mil ninhos de esperança ...





PjCondePaulino

7 comentários:

Cecília Almeida disse...

Fico completamente rendida à poesia do mê cumpadri...
Lindo...este poema...

Beijos

Pjsoueu disse...

Cumadrezita,

Rendido fico eu perante o seu bondoso comentário:)

Obrigado.

Beijos

Dois Rios disse...

"Ser criança é ser livre". Ser poeta é estar atrelado às suas verdades, ainda que nem sempre os versos as gritem.

O poeta se entrega ao êxtase
Chora a dor que é falsa
Porque sua dor verdadeira
É feita de silêncio
Da cenografia do silêncio.


Belíssimo poema!

Beijo,
Inês

Dois Rios disse...

Voltei para dar os devidos créditos aos versos acima. Os mesmos são de Sandrio Cândido, do blog A Alma e a Rosa.

Beijos,
Inês

Pjsoueu disse...

Dois Rios,

Inês, obrigado pal gentil presença.Fico contente por gostar...

beijos

Pj

Lídia Borges disse...

Um prazer estas leituras que nos levam ao passado, pelos campos da infância.
Lembranças que o tempo não pode apagar.

Obrigada!

L.B.

Pjsoueu disse...

Lidia Borges,

Obrigado pla gentil visita. Sim; embora não seja saudosista, adoro revisitar o passado. AS cores e cheiros com sentimento!!!

bjs

Pj