CASTELO ONDE TE SONHO POESIA

CASTELO ONDE TE SONHO POESIA

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

MÃE, PAI...

...SÓ TE QUERO A TI...



...muito mais que dinheiro - Pai, é a ti que eu quero,Mãe, minha mãe...



A senhora da alta sociedade costumava desfilar, na sua carruagem de luxo, pelas ruas de São Francisco, sob os olhares de admiração e inveja.

Um dia, os jornais publicaram o falecimento de uma tia. Ela, obedecendo às convenções sociais, teve que permanecer em casa, durante uma semana.

Aborrecida por ter que ficar sete dias dentro do faustoso palácio, procurou falar com o marido, Governador do Estado onde viviam. O marido, lembrou-lhe que era uma excelente oportunidade para passar mais tempo brincando com o filho.

Ela gostou da ideia. Caminhou resoluta através da ala esquerda do palácio, que tinha sido preparada para o pequeno príncipe, o qual vivia rodeado por profissionais de diversas nacionalidades, com o propósito de lhe ensinarem os idiomas e costumes doutros povos.

Quando o pequeno Leland avistou a mãe, deu saltos de felicidade, perguntando-lhe porque estava ali, naquele dia e hora? - não era normal essa visita.

Ela contou-lhe o motivo e ele, feliz, quis saber quantas tias ainda restavam na família.

Leland estava ao piano tocando uma balada que aprendera com sua ama francesa.

A mãe, impressionada, escutava aquela musica que lhe pareceu algo melancólica.

Pediu ao filho que cantasse, ele cantou. Pediu para que a traduzisse e ele traduziu.

Era a história de um menino cuja mãe o levava todos os dias à praia, de onde ficavam a ver o pai desaparecer na linha do horizonte, no seu barco pesqueiro.

Diariamente a cena se repetia, até que um dia, o barco do pai não retornou.

A mãe conduziu o filho novamente à praia e pediu-lhe que ficasse esperando, pois ela iria buscar o marido.

Entrou, decidida no mar, com o filho à espera na praia, pelo pai e pela mãe. Nunca mais voltaram...”

A musica comoveu muito, a mãe do Leland, dizendo-lhe que era muito triste. Ele respondeu que cantava porque se identificava com o menino da praia.

A mãe não compreendeu qual a semelhança e argumentou com o filho:

Meu filho, tu tens tudo. Não te falta nada. Tens a mãe, sendo o pai herdeiro de um dos homens mais importantes deste Estado.

Leland respondeu com melancolia: Mas o pai “desapareceu há muitos anos... no mar dos negócios e nunca o posso ver.

A mãe seguiu-o e eu fiquei aqui à espera...um retorno que nunca acontece. Mãe, como podes perceber, a minha história é muito semelhante à do menino solitário na praia.

Daquele dia em diante, a mãe passou a conviver, verdadeiramente com o filho de onze anos a quem não conhecia e, conhecendo-o, por esse motivo, aprendeu a amá-lo verdadeiramente.

A convivência estreita com a mãe, trouxe a Leland um brilho novo no olhar. Por algum tempo desfrutaram da alegria do afecto mútuo, das experiências vividas, na companhia um do outro.

Fizeram uma longa viagem de navio e Leland adoeceu. A mãe fez tudo o que podia para lhe salvar a vida, mas foi tudo em vão.

O navio voltou, mas Leland não pode mais contemplar a mãe, nem a mãe, o olhar lindo do filho.

Todavia, naquele breve tempo de convívio, o menino ensinou à mãe valores muito mais importantes que as riquezas materiais.

Ela construiu orfanatos e outras obras de assistência social.

Leland não herdou a fortuna dos pais, mas a fortuna rendeu frutos até aos dias de hoje, junto da sociedade naquele Estado da América do Norte; entre as quais a Universidade Stanford.

* * *

Não há motivo algum que justifique o abandono dos filhos por parte dos pais – nem a maior fortuna do mundo – nem a carreira – nem a pobreza. Nada, nada justifica a ausência dos pais na vida dos seus filhos – isto é verdadeiro amor.



Não há filhos que aceitem, de boa vontade e em sã consciência, trocar o afecto dos pais por qualquer outro tesouro.

O maior tesouro “NÃO SÃO AS COISAS” são as pessoas que mais amamos...

Vale a pena pensar nisto!




25 comentários:

Gerly disse...

Lindo, emocionante e cheio de grandes verdades.

Talvez por isso tantos jovens no mundo afora estejam doentes da alma, porque seus pais, mesmo não tendo partido estão ausentes das suas vidas.

Válida reflexão!

beijokas!

:o)

Pjsoueu disse...

Geryl:

Bom dia :) esta "casa", tabém é sua; sinta-se á vontade:)

Quanto ao tema, infelizmente há muitas "mortes" nos relacionamentos.Separações mesmo quando, aparentemente estão juntos.

<´Há que estar bem proximo dos nossos, conviver, brincar, falar, abraçar.Os nossos filhos são sobremaneira importantes para os deixarmos longe do nosso coração dexando.os ser "educados" por outros; mesmo muito profissionais que sejam..

beijos e um dia lindo para si:)

Pj

ANJA! disse...

Simplesmente emocionante,lindo,mas triste porque nos dias de hoje há muitos pais ausentes que nem conhecem os filhos que têm,e não fazem esforço nenhum,compram-lhes tudo o que querem mas muitos só queriam o carinho E a atenção dos pais.
Como sabes tenho duas filhas a mais velha têm 17 anos os amigos dela gostam muito de vir cá a casa pois dizem que se sentem bem e gostavam de nos ter como familia, somos de mais (dizem),fico orgulhosa do meu trabalho como mãe,
e não me canço de dizer que as amo e de falar com elas e de dar abraços e beijos...acho que é o meu dever como mãe.
Beijos belo aquariano...
ANJA

Luísa disse...

Bom dia Compadre,

Ainda estou emocionada com esta narrativa, pelo seu teor e conteudo.

Sendo eu mãe e bem galinha, ah que sou e não nego, penso que tenho nelas os meus tesouros e elas a mim, a esta altura da vida já são 3 tesouros, e o melhor da minha vida não são os bens materiais ou as vaidosices, mas estas pérolas de amor que de mim fazem parte.

O melhor da vida é preservar o que mais amamos.

Um xi bem apertado para o mê compadre preferido!

Luisa

Pjsoueu disse...

Anja...

Claro que se nota o teu amor maternal. Não não melhor tesouro do que os filhos...

Há muitos que querem destruir o que há de mais precioso; o núcleo familiar...mas nós continuaremos a lutar graciosamente, apostando no verdadeiro amor...

beijos bala Anja!

Pj

Pjsoueu disse...

Luisa:

Boa tarde, comadre,

Claro que,quando falam nos nossos filhos no emocionamos, eles fazem parte do nosso ser mais profundo, onde nem religiões nem politicas podem tocar, ainda que muito queiram

Ai de quem tocar na menina do nosso olho...os nossos tesouros os nosso filhos...

beijos, e um abraço de quem a admira cada dia mais pelo coração lindo quem tem:)

Do "cumpadri" Pj e família

Vieira Calado disse...

Uma estória antiga...

sempre actual!

Abraço

Pjsoueu disse...

Vieira Calado

Não temos duvidas, a História repete-se, talvez com mais veemencia...

Abraço

Pjsoueu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula disse...

Olá boa tarde,
Em primeiro quero agradecer o comentário de ontem no meu espacinho:) Muito obrigada!!!
E agora em relação a este post não poderia estar mais de acordo, para mim são mesmo as pessoas que amamos que são o melhor do mundo... Acho que já deves ter percebido..
Beijo grande,
Paula

Sophie disse...

Apesar de nao ter filhos espero ser uma mae como a minha foi para mim. Presente e enriquecedora.
Com os pais por perto, sem sofoco, as pessoas crescem com valores e mais carinhosas.. Não havia metade do mal no mundo se todos fossem bons pais!

BEijinho e mais uma vez, obrigado pelas palavras..!

SAM disse...

Amigo,

uma linda história que encerra a mais pura verdade e uma triste realidade. Enternecedor...Emocionoei-me.... O texto diz tudo:"maior tesouro “NÃO SÃO AS COISAS” são as pessoas que mais amamos..."


Muito grata e feliz com a sua visita amigo, creia. E mais ainda pelo belo texto que li.


De coração, obrigada.

Beijos

Pipinha disse...

Querido Pj, hoje passo para lhe dizer OBRIGADA!!
Li por alto este seu interessante post do qual destaco estas palavras:
"Não há motivo algum que justifique o abandono dos filhos por parte dos pais – nem a maior fortuna do mundo – nem a carreira – nem a pobreza. Nada, nada justifica a ausência dos pais na vida dos seus filhos – isto é verdadeiro amor."
Voltarei noutro dia com mais calma para comentar melhor.
Aproveito para copiar para aqui o que tem em cima no canto direito do seu blog e que me chamou a atenção mal entrei:
"Ser amigo até debaixo de água
Ser amigo é...compreender erros e defeitos..... e poder dizer a cada momento conte sempre comigo."
ADOREI!
Foi isso que fez no meu blogue. Adorei o seu gesto! Obrigada!
Beijinhos carinhosos e abraço apertado.

sonhos disse...

Meu amigo

Esta história me emocionou, e me tocou profundamente, por momentos vi meus filhos, ele com 17 e ela com 10 anos, na praia esperando o "pai".

Em troca eu "Mãe" dou-lhes um mar de afectos, amor, carinhos que nunca trocaria por nada no mundo.

Pergunto-me muitas vezes, se o que dou chega para completar o outro lado da ausência, indiferença, egoísmo.

beijinhos

Pjsoueu disse...

Paula:)


Bom dia: Percebi muito bem o amor que tens plos teus pais e filho; nota-se a dedicação que lhe dedicas como só uma mãe sabe fazer.

Desejo.te umdia lindo; beijos

Pj

Pjsoueu disse...

Sophie:

Claro que vai ser uma boa mãe. Vemos claramente nos teus sentimentos, um coração presente de amor envolvente e sincero..

Um fds maravilhoso...Beijinhoss

Pj

Pjsoueu disse...

Sam:

Eu é que agradeço a tua prersença.

O amor dedicado demonstrado na presença interessada, dedicada, na vida dos fihos pelos pais é uma das missões mais nobres incumbida por Deus.

Um fds semana excelente, Beijinhoss

Pj

Pjsoueu disse...

Pipinha:

Com ou sem pressa, a tua presença é sempre afectuosamente recebida neste lugar.

Ser pais é o acto mais sublime, quando exercido com toda a dedicação - bem presentes na vida dos filhos.Não importa se rico ou pobre.....

Ser amigo é isso mesmo; com ou sem defeitos; mas o melhor são os amigos : _ sao nossos:)

Um fds semana maravilhoso; beijinhoss

Pj

Pjsoueu disse...

Sonhos:

Querida Paula, vizinha:)

É claro que o teu "casalinho" de filhos, ficariam muito mais felizes se o pai estivesse mais presente....mas, não sendo possível, o teu amor qual bálsamo da alma e corãção vai curando essas feridas. E sei que essa tua dedicação e amor são tb o melhor do mundo para eles.

Fico feliz por sentir que és uma mãe especial...

um fim de semana lindo..beijinhos

Pj

kris disse...

Uma grande verdade..quem somos nós sem os outros?sem o amor deles?sem amarmos??

linda história..comovente

beijo

Pjsoueu disse...

Kris,

Verdade, precisamos uns dos outros.

O amor que enriquece é esse mesmo aquele que se dá a si mesmo...


Um fds lindo.

beijinhos

Pj

Pipinha disse...

Obrigada Querido Pj, pelas palavras lindas que escreveu na resposta ao meu comentário!
A sua presença no meu cantinho também é recebida com carinho e muita alegria.
Obrigada pela sua linda amizade!
Beijinhos carinhosos.

Pjsoueu disse...

Pipinha:)

Doce amiga,a amizade é recíproca na medida do conhecimento da ternura verdadeira e pura que eu sinto em tudo que nasce em ti, assim tão doce...e verdadeiro.

beijinhos

Pj

HelenaM disse...

Como é lindo e humano este teu blog, transmite-nos tanta amizade, amor, compreensão, humanidade, como seria bom e saudavel para a sociedade de hoje em dia em dar valor ao que temos de tao nobre, os sentimentos uns pelos outros, se houvesse um pouco de amizade e compreensao, haveria um amor de irmãos e a nossa sociedade estaria saudavel e frutifera, acabariam todos os males.

Pjsoueu disse...

HelenaM:)

Obrigado pelas suas palavras de elogio sincero:)

Não há no mundo melhor que o amor altruísta,onde impere a amizade ...

É um prazer imenso tê-la neste lugar de harmonias:)

beijos

Pj